Agatanhar o vazio

Agarre o assunto com pinças, uma vez instalada essa sensação poderá não haver retorno, todo o cuidado é pouco, calma, calce os seus melhores sapatos, sem pressa e instale-se bem, o corpo, tudo começa e acaba no corpo, se o desprezar ele virar-se-á contra si, não é isso que quer, pois não?

 

"Ao anoitecer, Ólenka sentava-se nos degraus da entrada e chegavam até ela as músicas do Tivoli e o rebentar dos foguetes, mas nada disso lhe despertava já quaisquer pensamentos. Olhava com indiferença para o seu quintal vazio, não pensava em nada, não lhe apetecia nada, e depois, quando caía a noite, ia para a cama e sonhava com o seu quintal vazio."
Tchékhov, Meu anjinho (trad. Nina e Filipe Guerra)

 

publicado por Isabel Afonso às 01:17 | link do post | participe