Não há nada

"no meu desejo de ti vou para a casa de banho e masturbo-me diante do espelho e venho-me , encostado ao lavatório ou nas minha mãos,e olho para as minhas mãos cheias de esperma: lembro uma mulher bêbada que no bairro alto me quis ler a sina e que horrorrizada, gritava:
"Não há nada, não há nada!"

José Neto

publicado por Isabel Afonso às 23:01 | link do post | participe