Bagulho à entrada da porta

Tento olhar para aquilo que não me agrada, como uma limitação minha, aliada a falta de disponibilidade para  compreender o objecto desse desagrado, quando isso acontece por norma, a coisa atravessa-se na minha existência para me afrontar e dessa forma não tenho alternativa, inicio o processo de assimilação da coisa em si...raios mas isto dá uma  trabalheira, para chegar à conclusão que mais valia estar quieta.

Mas porque não o fiz?

Elementar, minha cara..

A coisa, o objecto sacou o teu desprezo e alojou-se à entrada da tua porta para que não o a ignorasses.

 

publicado por Isabel Afonso às 19:32 | link do post | participe