Xeque ao Rei

Inesperadamente para ela e absolutamente premeditado por ele, depois deste ter simulado um afastamento sem possibilidades de retorno, eis que por entre as vidraças do velho café, num dia de chuva, avistara-o a colocar no porta bagagens do carro,uma bicicleta, mudara-se para o bairro onde ela vivia e a adivinhar pela forma metódica como se movimentava, dispunha de todo o tempo do mundo para forjar o mais casual dos reencontros.

Fingiu não o reconhecer, achou-lhe graça e o seu coração transbordou de ternura, retirara-se para se recompor, recuperar o norte, brilhava em todo o seu esplendor.

 

publicado por Isabel Afonso às 23:46 | link do post | participe