amor

Amo-te

Depois da paixão

ainda te amo

ficou para sempre

Instalou-se

tornou-se incontornável

é amor

egoísta

anarca

é amor

é o peso que me liberta

da insustentável

leveza que me desagregava as partículas

é razão

é caminho

é edifício

estrutura

mal tu sabes como

floresce esta flor

no asfalto

amarela

frágil

improvável

desajustada

inapropriada

mas viva

publicado por Isabel Afonso às 01:15 | link do post | participe